Relacionamentos

O que você busca em seus relacionamentos?

Somos seres naturalmente sociáveis e estar perto de outras pessoas traz diversos benefícios para nossa saúde física, emocional e mental.  E algo que podemos identificar em todo ser humano a necessidade de se relacionar, seja através de relacionamentos  amorosos, profissionais ou de amizades. 

Alguns estudos dizem que quanto mais íntima a relação se torna mais evidente são os benefícios. Se existem pontos positivos e necessitamos tanto de nos relacionar uns com os outros, porque as vezes isso se torna tão difícil e acabamos nos afastando das pessoas? É importante reconhecer que o motivo está em nós mesmos.

Por isso pergunto: O que você busca em um relacionamento?

Relacionamentos são importantes na nossa vida, como citei, tem benefícios extraordinários, eu por exemplo, sempre dei muito valor a minha família, amigos e hoje ao meu casamento, claro, nem sempre estes foram o mar de rosas, mas sempre dei bastante atenção e busco melhorar cada vez mais quanto a isso, o retorno é recompensador.

O psiquiatra americano e professor na Harvard Medical School, Robert Waldinger, em um estudo feito em Harvard com um grupo de pessoas durante 75 anos, mostra o quanto cuidar dos relacionamentos também é cuidar de nós mesmos. Robert foi o quarto diretor desse estudo que começou com 700 jovens, no início de 1938, sendo eles estudantes da faculdade e moradores de bairros pobres de Boston. Na palestra, Do que é feito uma vida boa, ministrada no TED, (link no final do artigo), ele conta que durante esses anos a vida de todos os participantes foi estudada com a finalidade de entender o que poderia levá-los a terem uma vida boa e feliz.

A principal conclusão ao acompanhar a vida de todos os integrantes, até alguns chegarem aos quase 90 anos, foi que os mais felizes e saudáveis foram os que tiveram relacionamentos próximos e de qualidade.

” O importante não é o número de amigos que você tem e não é se você está ou não em um relacionamento sério, mas sim a qualidade dos seus relacionamentos mais próximos que importa. Viver no meio de conflitos é ruim para a nossa saúde.” – Robert Waldinger

Em uma parte da sua apresentação Robert também mostra que as pessoas que chegaram aos 80 anos e tinham esses tipos de relacionamentos sentiram menos sintomas e problemas adversos que as vezes podem vir com o envelhecimento. 

Com esse estudo como exemplo é possível ver o quão importante é esse assunto e o quanto a solidão pode ser prejudicial, então eu faço mais perguntas para você: Como você trata os seus relacionamentos? Como você se comporta em relação a eles?

São muitos os fatores que podem nos impedir de nos relacionarmos de forma saudável e acabamos fazendo muitas coisas que os prejudicam todos os dias. Costumamos não colocar a mão na consciência e preferimos ficar nos vitimizando sem analisar se o que estamos fazendo está funcionando ou não. Está em suas mãos fazer esta avaliação, reconhecendo que é sua a responsabilidade de mudar o que não está lhe agradando no relacionamento, mas tendo consciência de que somente podemos fazer o que está ao nosso alcance. Por mais que haja um pressão externa e, talvez também interna, tentando nos induzir a acreditar no contrário, não podemos mudar as pessoas, mas podemos sim apoiar e incentivar a mudança. O dever de mudar é dá própria pessoa.

O que eu observo, o que alguns dos meus clientes e alunos relatam e o que eu particularmente também já fiz é a demasiada cobrança e a não gestão da própria expectativa que acabam prejudicando muito. Por isso eu fiz o questionamento sobre o que você busca. Será que o que você está buscando depende unicamente de você ou depende de uma outra pessoa?

Em qualquer relacionamento, mas principalmente nos mais próximos e íntimos, cobranças demais irão gerar conflitos. Existe uma frase que diz muito sobre esse assunto: Você não pode exigir o que o outro não pode te dar. Nós temos visões diferentes do mundo, pensamos, agimos e amamos de formas diferentes e muitas vezes cobramos algo que achamos que é certo, mas que para a outra pessoa pode não ser. A forma das pessoas demonstrarem afeto, amor e amizade por vezes é diferente e cabe a você avaliar e decidir se essa forma de relacionar-se é saudável e te faz bem. Relacionamento é uma via de mão dupla, é a arte de dar e receber, ter bons diálogos, saber ouvir e perguntar.

Questione-se: Você consegue enxergar os dois lados de suas relações?

Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar. – Machado de Assis.

Seguindo para o próximo ponto vêm as expectativas. Existem pessoas que tem expectativas tão altas quanto aos seus relacionamentos que dificilmente conseguem manter-se em um relacionamento. Muitos esperam que o outro se encaixe no que eles imaginam, no que eles idealizaram e, acabam jogando na outra pessoa a responsabilidade de corrigir as falhas, preencher os buracos e vazios que correspondem a suas próprias vidas, esquecendo que somos todos pessoas em desenvolvimento, com medos e cicatrizes próprias. Nesse ponto, somos todos iguais. 

Leia mais sobre o tema no texto: Amor – O lixo e as verdades por detrás da palavra.

Por isso, busque o contentamento em você mesmo, não no outro. Tornar-se refém da sua expectativa aumenta cada vez mais as frustrações em sua caminhada.

Rever nossos relacionamentos e a qualidade deles é essencial para termos uma vida mais feliz, mas para isso temos que nos questionar sempre sobre o que estamos buscando e o que é bom para nós e concluir se vale a pena continuar.

Está em suas mãos essa melhoria e crescimento, desenvolva-se sempre e pergunte-se também o que busca no relacionamento consigo mesmo, pois se não existir algo bom de você mesmo, fica difícil fazer externamente. Goste de quem você é!

Esse processo é algo que não tem fim, mas comece com um primeiro passo. Eu continuo nesse caminho crescendo cada vez mais, por isso eu convido você: Venha comigo!

Grande Abraço.

Leonardo Cruz – Coach de Liderança, pessoal e profissional; Gestor de Projetos e Negócios; Programador em Pnl;  Empreendedor e entusiasta da Filosofia

Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook e Instagram, e conheça mais sobre nossa oficinas!

Palestra TED: Do que é feito um vida boa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *